Explore uma representação interativa de como a ciência se processa. Página original em inglês Home Glossário pesquisa home Compreender a Ciência Para professores Biblioteca de recursos
Relato em primeira mão: Natalie Kuldell

Natalie Kuldell
Natalie Kuldell
 
BIOLOGIA
Instituição: Massachusetts Institute of Technology
Professor: Natalie Kuldell

Um momento ensinável
Eu incorporei conteúdo e imagens do Saber Ciência diretamente nas minhas aulas. Eu achei o site muito útil para relacionar aspetos da conduta científica — por exemplo, que os cientistas têm responsabilidades para com a comunidade quando analisam os seus dados. É importante notar que eu ensino algumas aulas incomuns no MIT, que são tanto acerca de competências profissionais como sobre o conteúdo em si. Uma história em particular destaca-se: Uma estudante notou que os padrões (conhecidos como "escadas"), que ela tinha usado num gel de agarose não pareciam ser exatamente semelhantes numa das extremidades do seu gel em comparação com a outra. O seu e-mail para mim foi:

O padrão ao lado (da minha amostra) parece ter corrido de forma diferente, dando tamanhos diferentes que não seriam de esperar … se a diferença se deve à forma como o ADN foi processado, dado que algumas das vias foram carregadas antes das outras, será que eu poderia apenas eliminar os padrões da via 14 no meu relatório?

Ela estava basicamente a perguntar se podia eliminar os dados que estavam a complicar a imagem global dos seus dados. Então, eu recordei-a da imagem que eu tinha mostrado no primeiro dia de aulas, retirada do site Saber Ciência, que era o cartoon onde um cientista está sentado, casualmente deitando uma placa de Petri no lixo, e recordei-lhe que isso não é permitido. Então eu sugeri que ela enviasse um e-mail ao professor assistente para saber se havia alguma coisa fora do normal sobre os materiais que tinham sido fotografados. Aqui está a resposta do professor assistente:

Ainda bem que percebeu que as escadas não coincidiam. Eu não sabia que você tinha escada no meio do seu gel. Eu adicionei escada à via 14 cerca de 2 minutos depois do início da experiência. Eu queria ter a certeza que você tinha algo com que comparar as bandas. Dois minutos não parecem muito, mas é o suficiente para alterar a distância de corrida dessa via de ADN. Espero que isto ajude!

Isso transformou um problema comum que por vezes enfrento (ou seja, dados diferentes do esperado) num momento de ensino agradável.

Porquê incluir o processo da ciência na sua cadeira?
A maioria dos professores que eu conheço pensa que num semestre não há tempo suficiente sequer para cobrir o conteúdo mais crítico das nossas disciplinas, muito menos as histórias e análises interessantes que se encontram em muitos dos resultados. Mas eu acho que a maioria das pessoas também compreendem que a matéria que damos é, na maioria das vezes, esquecida pelos nossos alunos a uma velocidade bem alta e que muitos dos factos básicos são fáceis de encontrar de forma fiável na internet. Para aqueles que têm relutância em incorporar a natureza e o processo de ciência num currículo já extenso, eu sugiro uma experiência. Em uma ou duas das suas aulas favoritas, tente deixar de fora alguns factos complementares, e em vez disso adicione alguns momentos sobre o processo da ciência — talvez acerca da publicação do trabalho, a inspiração do trabalho, ou caminhos sem saída que acabaram por não ajudar (ou ajudar!) a esclarecer o assunto. No final do semestre, questione os alunos acerca destes temas, tal como você costuma questioná-los sobre os factos da matéria, e veja se o tempo passado a explorar foi valioso. Na minha própria experiência, foi.


anterior
Usando relatos em primeira mão
seguinte
Relato em primeira mão: Susan Flowers


Salas dos professores
13-Univ 10-12 7-9 5-6 3-4 P-2

Recursos P-16


Guia do Compreender a Ciência


Quadro conceptual


Ferramentas didáticas


Dicas e estratégias


Como o Saber Ciência está a ser usado


Corrigindo equívocos


Equívocos acerca de ensinar


Investigação em educação


Brevemente!



Home | Acerca | Copyright | Créditos e Colaboradores | Contactos